>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> Seja bem-vindo! Comente as Postagens. Sugira um assunto. Volte Sempre.

terça-feira, 31 de julho de 2012

Olimpíada Brasil


  O Companheiro Duda Mendonça Judô o companheiro João Paulo Cunha, que Judô o Companheiro Delúbio Soares, que Judô o Companheiro José Genoino, que Judô o companheiro José Dirceu que Judô o companheiro Marcos Valério a ganhar o Ouro. – Charge por Dálcio para o Correio Popular



2012 é o ano dos escândalos políticos? Claro que não. É mais um ano. A diferença é que estamos sabendo um pouco mais. Palocci, Cachoeira, Demóstenes são atores momentâneos de uma longuíssima novela.

Em 2011 a bola da vez foi Palocci e Cia.

Agora em agosto teremos Cachoeira, Mensalão, campanha eleitoral, Olimpíada... Calma! Não está tudo em um saco só não!

A novela Cachoeira ainda terá grande audiência. Poderá não acabar em pizza (estou tentando ser otimista), mas já saiu até vídeo...

A grande mídia está alardeando “O JULGAMENTO DO MENSALÃO”, vamos ver o que acontece.

A campanha eleitoral é o meio... ou é o fim? Faz parte da seleção de atores. Ainda não sabemos escolher... E quem sabe? Poucos.

O desempenho do Brasil na Olimpíada é um capítulo especial da novela. Somos o quinto maior em território e população. Temos muito espaço, rios, mar, dinheiro... Não investimos suficientemente em educação, esportes, infraestrutura...

Um exemplo que resume a catástrofe: Salvador, a terceira maior capital do Brasil, não tem um ginásio de esportes. Vergonha.





quarta-feira, 4 de julho de 2012

Corinthians x Boca Juniors


Corinthians x Boca Juniors



Verdades e Mentiras

Verdade: O Corinthians representa o Brasil (na Copa Libertadores). Fazer o quê? É um clube brasileiro, sediado na cidade de São Paulo...

Mentira: O Corinthians representa os brasileiros. Calma lá! Como assim? Ser um dos representantes do Brasil na Copa Libertadores é uma coisa, representar os brasileiros é outra. A todo o momento tenho visto declarações do tipo “Eu não sou Corinthians não viu!” ou “Desde quando Corinthians é Brasil?”. Nunca vi tanto anti- Corinthians.

Mentira: Corinthians é Brasil. Já expliquei. Corinthians é Corinthians! Um clube blá-blá-blá... O Brasil é um país. Isso é frase de narrador da Globo: “Corinthians É BRASIL...”. Para.

Verdade: O Corinthians nunca venceu uma Copa Libertadores.

CPIzza Cachoeira

Você já comeu “Pizza Cachoeira”? Prepare-se! Esta quase pronta a Maior Pizza de 2012. Nunca antes na história deste país...

E a CPI só vai produzir uma pizza e pronto? Talvez... Quem sabe duas, três, quatro... Aquele forno é potente, a produção é industrial. É isso! CPI = Construindo Pizzas Incríveis.

Estou sendo pessimista? Não, não, não... Sou muito realista. Quem conhece um pouco do passado entende muito do presente e um pouco do futuro.

Tem peixe dos variados cardumes na rede de Cachoeira.

Tem tucano, petista...

Essa pizza terá vários sabores. Mais sabores significa mais cara.

E quem paga? Isso você já sabe.


O dep. federal Stepan Nercessian (PPS-RJ) recebeu R$ 175 mil de Cachoeira. Ele confirma o recebimento, mas diz se tratar de um empréstimo pessoal.

O dep. federal Carlos Leréia (PSDB-GO) é acusado de receber R$100 mil e ser sócio de Cachoeira em um terreno. Ele só comentará depois que tiver acesso ao inquérito.

O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) é acusado de pedir dinheiro e vazar informações oficiais a Cachoeira. O senador disse que os grampos registram "conversas triviais".

Eliane Pinheiro, ex-chefe de gabinete do governador Marconi Perillo (PSDB-GO) (foto), é acusada de ter telefone para informações sigilosas. Ela disse que se tratava de outra pessoa no grampo.

O dep. federal Sandes Jr (PP-GO) aparece nos grampos da PF em conversas com Cachoeira. Sandes diz ter procurado o contraventor por causa de sua proximidade com empresários de Anápolis.

O dep. federal Jovair Arantes (PTB-GO) é amigo de Cachoeira e aparece nos grampos. Ele diz que procurou o contraventor apenas para pedir auxílio político, e não financeiro.

O dep. federal Rubens Otoni (PT-GO) é alvo de inquérito por suposta ligação com Cachoeira, de quem recebeu R$ 100 mil. Ele disse que Cachoeira queria ajuda com questões de um laboratório.

Na gestão do gov. Agnelo Queiroz (PT-DF), Cachoeira teria operado para dirigir uma licitação milionária. Agnelo diz que não tem "culpa no cartório" e não renuncia nem se afasta do cargo.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Sonhando com a Chuva

Chegou a hora de acabar com o jejum de publicações aqui do blog. Passei quase dois meses “calado”, porém, as visitas continuaram. Muito obrigado!

Pensei em falar um pouco do Euro, dá Grécia, da crise. Li, reli, tentei resumir o assunto. Tirar alguma conclusão. Explicar que aquilo lá vai acabar mal. Deixa isso pra depois.

Hoje, 21/05/2012, encontrei um texto esquecido. Ele foi escrito nos últimos anos (não lembro exatamente em que ano), mas fala de 2012 (ou de 1877, quando cerca de 500 mil pessoas morreram por causa da seca; ou do período 1979/85, momento da mais longa e avassaladora seca do século passado).


Sonhando com a Chuva

Dá saudade de quando a água fazia o maior ruído. Parecia festa de São João. Cada gota que batia no telhado era um foguete de alegria. Era água que escorria pra todo lado. Enchia rio, açude, lago. Ninguém rezava pra chover porque chuva era rotina e sempre era bem-vinda.

No quintal de cada casa só se via o verde. Não tinha fartura. Ninguém reclamava. Tinha água correndo, tinha verde brotando. Feijão na mesa, leite no copo, carne de segunda a segunda.

E era melhor ainda para as crianças. Tomar banho no rio era a diversão do fim de semana. E quem tinha um anzolzinho conseguia até pegar um peixinho de vez em quando.

Até trovoada dava. E era um medo só. Era gente trancando a porta. Era reza, frio e cobertor. Mas eram sempre boas novas que o céu mandava. Era a continuidade. Sempre recebíamos aquelas noticias lá de cima. A semente na terra fazia festa.

Agora eu sei que cada segundo de cada paisagem é único. Nenhuma daquelas paisagens se repetiu. Nem no mesmo lugar. Água passada no rio é passado.

O ruído de hoje é lágrima. E cada gota parece terremoto. É reza pra chover, é choro pra comer. E como entender que o que vinha do céu não vem mais. E tudo ficando oco. Seco por fora. Seco por dentro. Terra rachada. Semente quebrada.

Amanhã vai ter festa de novo. É dia de São José. Chuva no dia do Santo é boa nova pra quem depende do que o céu manda. E eu sonhei. Amanhã é dia de trovoada. Já separei cobertor, já plantei semente. Santo em sonho não mente.




segunda-feira, 26 de março de 2012

Tsunami Monetário

Você tem medo do Tsunami Monetário? Muita gente está apreensiva, tendo calafrios. Mas que história é essa de Tsunami fora do mar? Quem inventou essa novidade?

Dilma, a nossa presidente, criou a expressão ao criticar as ações de países em crise que, para tentar estimular a economia, estão gerando um excesso de liquidez no mercado global.

Dilma foi muito criativa. Mas cadê o tsunami? Calma. Deixa o monstrinho quietinho. Esse tsunami é subdividido em duas grandes ondas. A primeira já aconteceu: Estados Unidos e países da Europa despejaram grandes montantes de dinheiro no mercado, emprestando aos bancos. Os bancos centrais dos países ricos injetaram US$ 8,8 trilhões em pouco mais de três anos em seus sistemas financeiros.

O que preocupa mesmo é a segunda onda. O que os bancos estão fazendo e o que eles irão fazer com todo esse montante. Os países emergentes estão com a luz amarela ligada. É muito bom trazer recursos em forma de investimento, porém, a entrada maciça de dólares no país pressiona o câmbio. Consequentemente, a valorização do real frente ao dólar prejudica as exportações brasileiras e aumenta as importações. Péssimo cenário.

A segunda onda está se desenvolvendo. Ela tem o poder de exportar a crise. Colocar em maus lençóis os países emergentes. Por que isso ainda não aconteceu? Os bancos estão deixando boa parte desse dinheiro parado. Na prática, o tsunami ainda não começou.

Como o Brasil pode se proteger? O governo já tomou algumas medidas para tentar diminuir a entrada de dólares no País. O Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) foi elevado para empréstimos no exterior. Outra medida é a redução do juro básico (Selic), que baliza o rendimento dos títulos públicos. A queda do juro tornaria os investimentos em títulos menos atrativos e poderia frear em parte a entrada de moeda estrangeira no País.

Há uma chance de não “decolar” o tsunami monetário? Essa hipótese ainda não foi defendida. Por enquanto, os bancos estão utilizando a maior parte do dinheiro para comprar títulos da dívida dos países mais seguros. Não há ganhos financeiros, os rendimentos estão abaixo da inflação. Os bancos estão perdendo dinheiro. O momento é de buscar liquidez, segurança. Há ainda muita incerteza.

Até quando a grande parte do dinheiro ficará empoçada? Até o momento de estabilização das economias dos países ricos. Quem estará preparado para este momento? Quem estiver pronto para sofrer pressão cambial e sobre preços. A taxa de juros negativa dos países ricos é apenas um porto seguro. O dinheiro acabará se movimentando em busca de taxas de retorno maiores. E deve rumar para os emergentes.

Não há um tsunami agora, mas todos sabem que haverá.


quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia Internacional da Mulher


Apenas em 1932 as mulheres brasileiras puderam votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo. Foi ontem.

O voto é apenas um capítulo. Esse já terminou. Muitos ainda estão no início.

O dia 8 de março não serve apenas para comemorar. Toda comemoração é respaldada em fatos. Há fatos importantes que marcam a luta da mulher pela igualdade. Há muitas conquistas. E todas foram difíceis.

O 8 de março serve para olhar para trás e comemorar, serve para olhar para frente e lutar.

Everaldo Júnior




No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.








terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Salvador e algumas Verdades

O folião soteropolitano está desconfiado. A greve da PM não impactou apenas na economia, mexeu com o psicológico. A tão falada “sensação de segurança” está abalada. 

A cadeia produtiva do Carnaval (venda de abadás, shows, pacotes turísticos, bares, restaurantes, aluguel de carros e apartamentos) sofreu imediatamente. A palavra cancelamento nunca foi tão utilizada.

Se o cidadão soteropolitano está desconfiado. Como estará o turista?

Parte dos turistas já está em outra praia. Uma pequena parte.

Parte dos foliões soteropolitanos/baianos ficará em casa. Pequena também.

Salvador é uma cidade violenta. Ficou em 22º lugar no ranking das cidades mais violentas do mundo. No dia 16/01/2012 postei a matéria aqui no blog http://maisumbloginteligente.blogspot.com/2012/01/as-cidades-mais-violentas-do-brasil.html

A greve despertou a sensação de insegurança em uma parte dos baianos. Pequena parte. A maioria, a população menos favorecida, a do buzu, a que ninguém ouve, não é vizinha da insegurança. Essa população divide o mesmo espaço.

Uma coisa é certa: o povo vai botar o bloco na rua. Calma pessoal... É só uma força de expressão. O povo curtirá o Carnaval. Bloco se transformou em um grande negócio para poucos. Blocos, festas e camarotes movimentam milhões na direção de poucos bolsos.

Os “donos da folia” moram na vizinhança, estavam preocupados com a imagem do carnaval (queda na venda).

O cidadão baiano merece mais atenção. A cidade que faz a maior festa do mundo está entre as cidades mais violentas. Segurança Pública, Educação, Lazer, Cultura, Saúde devem ser assuntos prioritários (prioridade de fato, não só em campanha eleitoral).

Vamos ao Carnaval. Essa é a festa da felicidade. Portanto, a melhor forma de comemorar é aquela que te faz feliz.

E a imagem de um lugar é boa quando ela mora no consciente do cidadão local.